Skip to content
Início seta Notícias seta Hospitais sem reabilitação
Hospitais sem reabilitação Imprimir e-mail
22-Apr-2009
Em Portugal, apenas “menos de três por cento das 11 mil pessoas vítimas de enfarte em cada ano têm acesso a reabilitação cardíaca”. A revelação é de Miguel Mendes, cardiologista no Hospital de Santa Cruz (Carnaxide), com base no Inquérito Nacional de Reabilitação Cardíaca feito em 2007.


Image

A reabilitação cardíaca reduz a reincidência entre vítimas de enfartes e a mortalidade desce até 30%. No entanto, em Portugal, apenas é efectuada em 18 centros. Não existe na maioria dos hospitais públicos e com os privados "não há convenção", refere o cardiologista. O tratamento custa cerca de 200 euros por mês.

Os números foram divulgados ontem no XXX Congresso Português de Cardiologia, que está a decorrer em Vilamoura, Algarve. Segundo Miguel Mendes, "Portugal está muito aquém em relação a outros países do resto da Europa", como Inglaterra, Irlanda, Alemanha, Suíça ou Suécia, onde os valores chegam aos 80%. Espanha é o país que mais se aproxima de Portugal, com cerca de 5% de doentes incluídos nos programas de reabilitação.

O tratamento não é exclusivo para quem sofre enfartes. Angina crónica, cirurgia coronária ou insuficiência cardíaca são situações em que se aplica. "Trata-se de fornecer uma condição física, mental e social que permita retomar o lugar na comunidade", diz o cardiologista.

PORMENORES

ENFARTES
Um estudo conclui que os enfartes do miocárdio sem sintoma são mais frequentes do que se pensava.

TRATAMENTO
Terapia prevê um cumprimento indispensável quanto a medicamentos, estilo de vida e outros tratamentos na recuperação.

PLANO
O Plano Nacional de Saúde de 2004 previa um aumento para 30% de doentes sujeitos a reabilitação.

NORTE E LISBOA
Dos 638 doentes reabilitados em 2007, 72% dos casos foram no Norte e 28% em Lisboa.


Fonte: Correio da Manhã